Shoku: uma mesa para bonsai

As pessoas que cultivam bonsai usam uma pequena mesa em ocasiões especiais, seja uma exposição ou uma visita de amigos na sua casa, para deixar o vaso do bonsai em cima e valorizar ainda mais a árvore. Em japonês essas mesas são chamadas de shoku. Eu já havia feito duas outras mesas assim, uns modelos mais simples e fáceis de se fazer, que pode ser vistas aqui: um modelo mais alto, e aqui: um modelo mais baixo.

O bonsai é uma arte que eu admiro muito, não entendo muito sobre ela, mas acredito que dedicação e paciência são dois itens fundamentais. Pensando nisso decidi dessa vez fazer um modelo mais complexo, que exige tempo, dedicação e paciência para fazer. Trata-se de uma mesa em estilo chinês, incluindo os encaixes chineses que fazem com que a peça tenha uma durabilidade enorme, mesmo que a cola venha a se deteriorar com o tempo.

Vou começar mostrando a mesa finalizada e em seguida mostrar os detalhes construtivos.

shoku bonsai stand table
A madeira dos pés e da moldura do tampo é Peroba-rosa, reutilizadas de um antigo telhado. Já a madeira da almofada, do miolo do tampo é Itaúba, também reutilizada.

chinese bonsai table
Os pés curvados para dentro e esse rebaixo entre os pés e o tampo é uma das características dos móveis chineses.

through tenon


triple miter leg
Outra característica dos móveis chineses são os cantos em meia esquadria tripla, além desse friso nos pés . 

molding bead

Esse é meu logotipo entalhado em baixo do tampo. Ele foi criado por um grande amigo publicitário,  Júlio Mello.

Agora as fotos da construção da mesa. A aparente simplicidade externa do encaixe em meia esquadria tripla nos cantos da base é algo que engana, como pode ser visto nas fotos abaixo.

doble tenon
Esse é o encaixe fechado, ainda reto, sem as curvaturas nos pés.
triple miter
O que parece uma simples meia esquadria por fora, se revela um encaixe complexo por dentro.

3-way miter corner
Abrindo o encaixe, vemos que há espigas nas travessas, que garantem resistência a mesa.
chinese joinery
As espigas das travessas se encaixam dentro de furas feitas em cada pé.
A curvatura dos pés é feita inicialmente na serra fita. Olhando assim desmontados ainda lembra até as pétalas de uma flor.
hand planing the apron
Já a curvatura das travessas é feita com uma plaina de mão, de forma manual, até que a curvatura de cada travessa coincida com a curvatura dos pés.
Depois da base toda colada é dado um acabamento inicial com um raspador manual, seguido depois por lixas.
O tampo da mesa é feito também da forma chinesa, com os cantos em meia esquadria e espigas vazadas. O painel central fica flutuando dentro do encaixe, com a devida folga para acomodar as variações de tamanho que a madeira sofre devido à umidade.
O tampo montado, com o excesso das espigas saindo para fora ainda.
Cada pé possui pequenas espigas que se encaixam no tampo da mesa. Cada uma das duas espigas de cada pé se encaixam de um dos lados do encaixe em meia esquadria do tampo; isso contribui para que o encaixe do tampo nunca se abra, mesmo que a cola venha a falhar.
E aqui a mesa praticamente pronta, faltando apenas o friso na parte interna dos pés e travessas.
hand made bead molding
O friso é feito de forma manual, já que a curvatura da mesa não permitiria o uso de uma ferramenta elétrica como uma tupia. É usada inicialmente uma ferramenta simples feita de um pedaço de aço, com o perfil desejado. Depois o friso é retificado com um formão bem afiado, quase um entalhe, pois as curvas apertadas não permitem que a ferramenta da foto imprima todo seu perfil nos pés.

10 comentários:

  1. Caramba Adorei!Sem palavras!
    Um abraço!
    Ana Martins
    http://vidacacarecosereciclagens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Tomazelli, ficou muito bacana!! Parabens!! Abraço,

    Henrique

    ResponderExcluir
  3. gostei muito dessa mesinha e queria fazer uma você pode me passar as medidas admiro muito o seu trabalho parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tampo te cerca de 30 x 18, cerca de 11 cm de altura. Obrigado pelas palavras.

      Excluir
  4. Oi. Boa noite. Gostaria de entrar em contato contigo.
    Quero fazer a shoku como hobby.
    Obrigado pela a atenção. Ricardolinhares@hotmail.com

    Soube Porto Alegre. Trabalho como piloto. Preciso de ajuda na marcenaria.

    ResponderExcluir
  5. Tomazelli, parabéns pelo trabalho.... sensibilidade e conhecimento... Lindo!!!

    ResponderExcluir
  6. Tomazelli,
    belíssimo trabalho. Sua técnica e conhecimento das variações provocadas pelos intempéries junto às madeiras são irrepreensíveis. Devo frisar, e ao mesmo tempo agradecer: não fazia a mínima ideia quanto ao evento.
    Osvaldo Ururahy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A variação da madeira com a umidade é algo que SEMPRE acontece, independente da idade da madeira. Isso é, ou deveria ser, conhecimento básico para qualquer marceneiro que lida com madeira.

      Excluir
  7. Maravilhoso trabalho, fiquei de boca aberta (que nível de dificuldade nas junturas angulares!), está de parabéns, uma verdadeira fera, um dos maiores do Brasil.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Você tem para vender uma mesa para bonsai igual a essa ou outro modelo ???

    ResponderExcluir